Formação para docentes: Recursos geológicos alimentam projetos e recursos educativos

O aproveitamento educativo e didático de recursos geológicos de vários pontos do território nacional foi o conteúdo de uma formação para professores promovida no dia 24 de novembro, Dia Nacional da Cultura Científica.

A iniciativa - «Serviços Educativos em Pontos de Interesse Geológico e Mineiro em Portugal» - esteve aberta a docentes de todos os grupos disciplinares, decorreu no auditório da Escola Secundária de Arouca e foi promovida pela Associação Geoparque Arouca (AGA), em parceria com o Agrupamento de Escolas de Arouca, o Roteiro das Minas e Pontos de Interesse Mineiro e Geológico de Portugal e o Centro de Formação de Professores AVCOA, entidade certificadora da formação.

«Estudar o território é promover a ciência, a sustentabilidade e a identidade»

Na sessão de abertura, a Diretora do AE Arouca, Amélia Rodrigues, recordou o trabalho de cooperação permanente da escola com a AGA e outros parceiros no qual têm estado envolvidos projetos de todos os níveis de ensino, tanto em atividades regionais como internacionais, de que são exemplos projectos Erasmus no âmbito dos Geoparks. «O conhecimento e a valorização do nosso património natural é um desígnio educativo, sendo importante trabalhar em parceria pelo sucesso dos nossos alunos», salientou a docente do AE Arouca. Em representação da Empresa de Desenvolvimento Mineiro, Gonçalo Rocha referiu-se à relevância de «desbravar caminho nesta tarefa de dar a conhecer e valorizar os recursos geológicos e mineiros, temas nem sempre devidamente entendidos pelas populações.» Nesta meta que é trazer à pedagogia a importância destes recursos nacionais é fundamental «a ação dos professores enquanto veículos de comunicação junto da comunidade educativa.» Também Margarida Belém, em representação do Município de Arouca e da Direção da AGA salientou as virtudes do conhecimento e da valorização do território arouquense, ao ser partilhado de forma colaborativa e ao envolver no seu estudo interdisciplinar as crianças e os jovens a fim se promover «a cultura científica, a sustentabilidade e o sentido de pertença a um território que é o nosso». «Cada professor que possamos captar para este trabalho educativo é para nós uma conquista», referiu a presidente da AGA. Também José Rosa, em nome do Centro de Formação de Associação de Escolas de Arouca, Vale de Cambra e Oliveira de Azeméis, enalteceu a ação formativa dirigida aos docentes de várias áreas disciplinares já envolvidos ou que venham a envolver-se nos projectos alinhados com a riqueza do património regional e nacional.

Três testemunhos ativos: Gruta da Moeda, Museu Mineiro e Arouca Geopark

A primeira parte de formação (haverá um segundo momento de realização) prosseguiu e concluiu-se com a divulgação de pontos de interesse geológico e mineiro e a respetiva partilha de atividades e experiências educativas trabalhadas com as escolas a partir dos testemunhos de Carolina Sousa, do Centro de Interpretação Científico-Ambiental das Grutas da Moeda (Batalha), de Micaela Santos, do Museu Mineiro / Casa da Malta de São Pedro da Cova (Gondomar), e de Alexandra Paz, do Arouca Geoparque Mundial da UNESCO (Arouca).

«O nosso país é um recurso mineiro e geológico riquíssimo», reiterou Daniela Rocha, Coordenadora Executiva da Associação Geoparque Arouca, que agradeceu a participação e o empenho dos docentes e importância das parcerias já encetadas e a encetar em abono da educação e das aprendizagens sobre recursos territoriais junto dos alunos das nossas escolas.

Fotos