MAIO, mês do coração

Este ano letivo a comemoração de maio, mês do coração, versou na componente da prevenção das doenças cardiovasculares e nas emoções, tantas vezes associadas a este órgão vital. O agrupamento agarrou o mote e deu “asas à imaginação“.

Nos estabelecimentos de Ensino do Pré-Escolar e 1ºCEB, foi dada prioridade à promoção da atividade física, conforme o lema proposto para o presente ano letivo - “Mexam-se um pouco…”. Foram desenvolvidas diversas atividades, nomeadamente percursos pedestres, jogos tradicionais, jogos desportivos, dança, com reflexão filosófica sobre o benefício do exercício físico para um coração saudável. Foi ainda abordada a necessidade de combinar o exercício físico com uma Alimentação Saudável (com recolha de receitas saudáveis) e analisado o seu reflexo no bem-estar individual e coletivo, potenciador de um coração em forma. Os conteúdos foram explorados, através de vídeos, workshops, meios digitais, desafios práticos e jogos, que se traduziram em alguns produtos finais como: composições plásticas, nuvem de palavras (wordArt), coreografias, entre outros.

Na Escola Secundária de Arouca, a equipa PES organizou, com o apoio da Enfermeira Marta Ferreira, sessões presenciais ao nível de turma, designadas “Desconfinar, com Tato” para os alunos das turmas do 9º e 10ºanos, objetivando esclarecer dúvidas no âmbito da sexualidade, concretamente sobre contraceção, de forma a prepará-los para uma vida sexual saudável e responsável. Participaram as nove turmas do 9ºano e cinco das oito turmas do 10ºano. A enfermeira Marta esclareceu muitas das dúvidas previamente colocadas pelos alunos e alertou para a importância de dar continuidade às medidas de prevenção da COVID-19.

Dada a importância do sono no funcionamento do relógio biológico e na comunicação entre o cérebro e o organismo como um todo, e sabendo que a sua privação aumenta o risco de doenças cardiovasculares, contribuindo para a obesidade, a diabetes, o cancro e o aparecimento precoce de doenças neurodegenerativas, a equipa PES divulgou um concurso, por solicitação da Direção Geral de Educação, cujo o tema estava ligado à importância das regras de higiene do sono. Os alunos do agrupamento foram desafiados a fazer um desenho sobre bons hábitos de sono.  Para a sensibilização dos discentes, a equipa PES enviou material para ser explorado nas aulas pelos professores interessados. As turmas B, C e F do 6º ano, elaboraram postais nas disciplinas de Ciências Naturais e Educação Visual, que foram expostos no átrio da escola básica e, no 1ºciclo, foram candidatados alguns trabalhos ao concurso Higiene do Sono, ilustrativos da importância do sono no bem-estar do organismo, logo do coração.

Ainda a nível do 2º Ciclo, as turmas A e E do 6º ano, no âmbito do seu projeto de OFA com o tema “100% AlEgrAr-te”, comemoraram o mês de maio, mês do coração. Realizaram-se quatro atividades (“O Coração não tira férias'', “O Coração Saltita”, “Música no Coração” e “Coração sem stress”), que decorreram todas as terças feiras, do mês de maio, com o objetivo de sensibilizar a Comunidade Escolar para a importância do bem-estar e saúde física e mental.

Ao longo do mês de maio, ainda na vertente da saúde mental, e tendo em conta que a imagem do corpo se forma na mente de cada um de nós, em resultado das experiências sensoriais, cognitivas, afetivas e sociais, foi desenvolvido um projeto multidisciplinar, pelas professoras Joana Martins, Susana Martins, Elisabete Teles, Manuela Borges e Diana Conception, em conjunto com a equipa PES, que resultou na intervenção em diferentes espaços comuns da ESA e da EBA e na colocação de palavras, frases e outros elementos, bem como a elaboração de um vídeo, que promoveram a reflexão sobre a aparência física e a valorização pessoal. Esta intervenção foi o produto final do projeto “Eu, confiante” desenvolvido nas aulas de Cidadania das turmas 7.ºA, 7.º G, 8.ºA, 8.º C, 8.ºD e 8.ºG decorrente de uma formação realizada, por alguns professores, em parceria com a Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação do Porto e a Dove. Assim, durante a semana de 1 a 8 de junho, o resultado do projeto foi apresentado à comunidade escolar e permitiu o envolvimento de todos alunos, em Orientação Escolar, no desenvolvimento das seguintes atividades: registo frases/termos no mural colocado no hall de entrada da ESA; visita/reflexão da exposição de termos dispostos no corredor principal da ESA; visualização/discussão de pequenos vídeos e resposta a um questionário online sobre autoestima e ideais de beleza. Os alunos do Curso profissional de Animação Sociocultural, orientados pela professora Carla Santos, associaram-se ao evento e fizeram uma representação, alusiva à temática, no átrio junto à sala de professores.

O Serviço de Psicologia e Orientação, em parceria com as docentes responsáveis, fizeram o tratamento do questionário, tendo constatado que :

  • em termos gerais, os alunos (81,2%) fizeram uma avaliação de autoestima positiva, no entanto, para 18,8% a sua autoestima não é positiva e refletem uma autoimagem mais negativa;
  • ainda na categoria autoestima, 23,2% dos alunos responderam que muitas vezes se acham bonitos quando se olham ao espelho e 46,4% afirmam já o terem feito algumas vezes, apresentando uma autoestima menos elevada;
  • relativamente aos padrões de beleza/pressões sociais, a maior parte dos alunos já se comparou com os padrões de beleza das redes sociais e também em relação ao corpo dos outros. Cerca de 60% afirmam que já se sentiram mal com o seu corpo. Apesar destes “sentimentos/sensações”, aparentemente, os alunos não se deixam influenciar pela pressão social (65%), pois afirmam que não deixaram de vestir o que gostam em função de certos ideais de beleza, e declaram também (69,6%) que não alteravam nenhuma parte do seu corpo;
  • apesar da maior parte dos inquiridos (um valor superior a 70%) não ter sentido pressão negativa (gozo, exclusão pelos pares), ainda assim, existe um grupo de alunos que já se sentiu excluído por alguém devido à sua aparência, que já foi gozado por não conseguir realizar certas tarefas por causa do seu corpo. No pólo oposto, alguns alunos afirmam já ter sido gozados por serem mais confiantes ou ter uma autoestima elevada;

Em jeito de conclusão, nesta faixa etária os alunos sofrem muito com problemas de imagem, pois ainda não têm estrutura e autoestima suficientes para perceberem que a imagem exterior não os define, mas sim as suas características intrínsecas. A Autoestima é a qualidade que pertence ao indivíduo satisfeito com a sua identidade, ou seja, uma pessoa dotada de confiança e que se valoriza a si mesmo. Para que os nossos alunos se sintam confiante, será necessário reconhecer que todos temos qualidades para além da aparência. São elas que nos tornam pessoas únicas.

Sejam felizes! O coração agradece…

Fotos