Programa Escola Embaixadora do Parlamento Europeu leva vinte e quatro alunos do AEA ao Parlamento Europeu, em Estrasburgo

Pela segunda vez em três anos de vigência do Programa Escola Embaixadora do Parlamento Europeu [EEPE], o trabalho de promoção da cidadania europeia desenvolvido pelo AEA foi distinguido com o prémio máximo – a participação numa Jornada Euroscola, no Parlamento Europeu, em Estrasburgo.

A primeira experiência aconteceu em maio de 2018. A mais recente teve lugar no passado mês de fevereiro. Uma comitiva de 24 alunos do Ensino Secundário (dos cursos científico-humanísticos e profissionais), todos eles Embaixadores Juniores EEPE, esteve em Estrasburgo, entre os dias 5 e 8 de fevereiro, acompanhada de duas docentes, Embaixadoras Seniores EEPE, as professoras Olga Soares e Amélia Rodrigues.

O projeto Euroscola, ao abrigo do qual os jovens arouquenses viajaram para Estrasburgo, visa a formação de uma consciência europeia junto dos alunos que frequentam o ensino secundário sobre as possibilidades que lhes oferece a sua cidadania europeia, bem como sobre o papel que o Parlamento Europeu desempenha no processo de decisão europeu.
Na escola, meses antes da partida, com a ajuda de vários professores, de língua estrangeira e não só, os alunos prepararam-se para “ser deputados por um dia”. Seguiram-se muitas horas de pesquisa, reflexão e discussão sobre temas como o futuro da Europa, a crise migratória, a defesa do ambiente e as energias renováveis, a segurança e os Direitos Humanos, as dependências e os jovens, o emprego dos jovens.

Na manhã do dia 6 de fevereiro, já no hemiciclo [Parlamento Europeu], os alunos ocuparam, quase por completo, os 705 lugares dos eurodeputados e aí debateram e votaram propostas por eles elaboradas, em grupos de trabalho formados por jovens oriundos de mais de 20 países europeus, designadamente da Finlândia, França, Bélgica, Polónia, Hungria, Holanda, Letónia, Lituânia, Irlanda, Bulgária e Áustria. No início dos trabalhos, os alunos arouquenses Margarida Cândido Cardoso e Vítor Lomba Pinho foram os porta-vozes da comitiva portuguesa e apresentaram, brilhantemente, a nossa escola e a nossa região ao público presente no Parlamento Europeu. Um outro elemento do grupo, José Alexandre Duarte Justo, foi o repórter de serviço e integrou o grupo de jovens jornalistas e repórteres de diferentes países, que fizeram a cobertura do acontecimento [ver aqui a reportagem da autoria do Jovem Repórter Alexandre Justo].
Durante as sessões de trabalho nas comissões, os cerca de 500 jovens europeus interagiram em acesas e valiosas conversas, onde não faltaram temas como o Brexit e suas consequências, o conflito entre a Síria e a Turquia, as migrações e as políticas de integração, as políticas ambientalistas, os valores europeus e até a criação de um possível sistema educativo europeu. Os nossos alunos participaram entusiasticamente nestes trabalhos e alguns tiveram especial protagonismo durante a sessão parlamentar, expondo as suas ideias e interpelando os oradores. Além dos seus conhecimentos sobre a Europa, estes jovens tiveram oportunidade de exercitar a sua competência de comunicação em língua estrangeira, uma vez que interagiam com os outros jovens e com os eurodeputados que os acompanharam, em inglês (língua de trabalho e não língua oficial da EU) ou em francês.

A par desta valiosíssima experiência de cidadania e ativismo político, os nossos jovens embaixadores europeus usufruíram de um vasto programa cultural que os levou a conhecer a maravilhosa cidade de Estrasburgo, capital da região administrativa da Alsácia e Património Mundial desde 1988. Conhecida como uma das capitais da Europa, devido às inúmeras instituições europeias que alberga, entre as quais o Conselho da Europa, o Parlamento Europeu (dividido com Bruxelas) e o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, esta cidade da Alsácia francesa, na fronteira com a Alemanha, orgulha-se de ser uma das mais antigas da Europa e de possuir a sexta maior igreja do planeta e a segunda maior da França, atrás da Notre-Dame de Paris: falamos da catedral de Notre-Dame de Estrasburgo.

Houve ainda tempo para uma visita à cidade alemã de Kehl, mesmo na fronteira com Estrasburgo. Estrasburgo e Kehl tornaram-se um símbolo da relação franco-alemã do pós-guerra, da reconciliação e da paz na Europa. A região da Alsácia já foi palco de batalhas sangrentas entre a França e a Alemanha em busca do controlo da região. Entretanto, as fronteiras físicas desapareceram da paisagem e foram substituídas pela maravilhosa e simbólica ponte pedonal Mimram e, mais tarde, pela Ponte da Europa, que atravessam o rio Reno, unindo duas cidades.
Paris também fez parte deste roteiro europeu. De TGV, a uma velocidade a rondar os 320 km/h, os jovens arouquenses fizeram os cerca de 400 Km que separam Estrasburgo da capital francesa, para visitar alguns dos mais emblemáticos lugares da cidade luz: Montmartre e a Basílica do Sacré Coeur, mesmo ao lado da pitoresca Place du Tertre; a Torre Eiffel e os jardins do Trocadero; o imponente Museu do Louvre e as suas pirâmides; o Arco do Triunfo e os Champs Elysées e ainda as famosas pontes sobre o Sena e a majestosa catedral de Notre-Dame, em reconstrução, após o incêndio que abalou Paris, em abril de 2019.

O regresso foi no dia 8, já a noite ia alta. Na bagagem, trouxemos mais um pedacinho da Europa. A Europa é AQUI! A Europa somos NÓS!

Fotos | Vídeo da sessão: aqui OU aqui

0
0
0
s2sdefault