Visita de Estudo “Na Rota do Amor (de Perdição)”

No dia 7 de novembro, realizou-se uma visita de estudo interdisciplinar à cidade do Porto, envolvendo as disciplinas de Português, Área de Integração, Inglês e Serviço RB/CP, destinada aos alunos das turmas 11º F (Curso Técnico Animador Sociocultural), F1 (Curso Técnico Controlo Qualidade Alimentar) e 11º H/H1 (Curso Técnico Restauração).

Na parte da manhã, visitamos a Cadeia da Relação do Porto onde esteve preso Camilo Castelo Branco, grande referência na literatura portuguesa e Ana Plácido, a mulher com quem manteve uma paixão adúltera. Inicialmente, assistimos a uma apresentação sobre a vida do escritor e autor de “Amor de Perdição” e foram-nos fornecidas informações sobre os espaços a visitar e sua importância na vida do escritor. Posteriormente, usufruímos de uma visita guiada aos principais espaços da cadeia, palco das personagens do livro “Amor de Perdição”, já que aí esteve preso o protagonista do romance, Simão Botelho, tio do próprio escritor Camilo Castelo Branco. Visitamos as enxovias, as celas dos pobres e os espaços destinados aos mais ricos, chamados “Quartos de Malta”, onde Camilo Castelo Branco esteve preso, durante aproximadamente um ano.

De seguida, e por umas horas, assumimos o papel de turistas e tivemos a oportunidade de visitar e descobrir alguns pontos de interesse cultural, arquitetónico, histórico, paisagístico e gastronómico da cidade, classificada como Património Mundial pela UNESCO, desde 1996. Os monumentos, o património, o ambiente das ruas, as mercearias, os edifícios, as praças foram vivenciados com intensidade e entusiasmo por todos nós que participamos nesta descoberta.

Os pontos mais emblemáticos foram a “Casa Portuguesa – Pastel de Bacalhau”, a “Casa Oriental”, o painel de Joana Vasconcelos e o “Hard Rock Café”.

A descoberta de espaços desconhecidos, nomeadamente, Livraria Lello, Hard Club (Mercado Ferreira Borges), zona da Ribeira, Torre dos Clérigos e Estação de S. Bento, foi uma mais-valia e permitiu uma maior socialização entre turmas e professores.

O balanço desta visita não podia ser melhor! Até o tempo ajudou!

A cidade Invicta muito tem para revelar a quem a visita. Muito ficou ainda por descobrir… Um até já.

Ficam as fotos para memória.

0
0
0
s2sdefault