HorAESA de 16.02.2018

As emissões do HoraEsa estão de volta! No dia 16-02-2018, os professores Márcia Ferreira, Nélia Saúde, Fernando Alves, Maria Isabel Gonçalves e Vitor Correia, conduziram o programa dedicado ao Dia Mundial da Rádio. Por essa razão, convidaram o locutor da Rádio Regional de Arouca, Tony Noites, que amavelmente aceitou colaborar neste programa, que se realizou em direto.

O Dia Mundial da Rádio celebra-se anualmente a 13 de fevereiro.A data foi escolhida pois foi neste dia que a United Nations Radio emitiu pela primeira vez, em 1946, um programa em simultâneo para um grupo de seis países. A data foi declarada em 2011 pela UNESCO e o primeiro Dia Mundial da Rádio foi celebrado em 2012.

A rádio continua a ser o meio de comunicação social que atinge as maiores audiências, continuando a adaptar-se às novas tecnologias e a novos equipamentos, com a transmissão online via streaming, por exemplo.É um meio bastante útil para a população, seja como ferramenta de apoio ao debate e comunicação, de promoção cultural ou em casos de emergência social. Para os profissionais de comunicação social, a rádio é uma plataforma para se divulgarem factos e histórias.

A rádio acompanhou os principais acontecimentos históricos mundiais e hoje continua a ser um meio de comunicação fundamental. Este meio de comunicação social adaptou-se à era digital e continua a ser um meio fiável para a população, que recebe a informação na hora, sendo esta uma das características mais positivas da rádio.

É importante compreender como determinadas características do radiojornalismo são relevantes para a contemporaneidade. O imediatismo e a instantaneidade, a mobilidade, o baixo custo, a portabilidade, o diálogo com o ouvinte, a criação de imagens na mente do receptor, o divertimento e a descontração, o contacto com a cultura popular são peculiaridades próprias e mais acentuadas desse meio de comunicação que necessitam ser compreendidas sob a ótica da sociedade pós-moderna em que vivemos. Outra questão fundamental a ser discutida tem a ver com a qualidade das notícias veiculadas na rádio. Mas não podemos desconsiderar, inclusive, como a rádio pode ser uma ferramenta importantíssima tanto para a manutenção de políticos no poder quanto para a formação de opiniões públicas.

0
0
0
s2sdefault