Folgosinho

Este projeto pretende retratar através de um vídeo-diário, a vida de um jovem no seu período de tempos livres. Nele mostra-se algumas das atividades do dia-a-dia, com especial destaque para aquelas relacionadas com a vida familiar. O tempo livre é oferecido à vida do campo. A aldeia de Folgosinho é o “palco” deste projeto, sendo que é nesse lugar com cerca de meia dúzia de casas onde maior parte dos habitantes para seu sustento, vive da agricultura. Este projeto retrata meses de trabalho do dia-a-dia de Folgosinho. Pelo meio deste processo, neste longo período de tempo, mostra-se o cicloda natural do campo, desde que a erva é semeada até se transformar em palha e voltar à sementeira novamente. A agricultura não é suficiente para garantir uma sustentabilidade económica da família, uma vez que os custos desta atividade estão a aumentar. Os combustíveis para as máquinas agrícolas, assim como todos equipamentos são cada vez mais dispendiosos, e isto faz com que muitos agricultores abandonem esta profissão tão antiga e tão importante para a sustentabilidade de um território. O trabalho no campo tem alturas do ano em que é mais intensivo, por exemplo, na época das sementeiras e na época das colheitas dos produtos. Quando não há tanto trabalho nos campos, a Aldeia tem que se dedicar a floresta para tentar garantir o financiamento anual. Tal tarefa,torna-se difícil com os incêndios que destroem quanto os agricultores têm nos seus montes, que são como um celeiro natural. Em prol deste trabalho diário e gratificante, que é a vida do campo, os momentos em família superam quaisquer esforço, próprio da vida rural de Folgosinho.

Orientador // Prof. Carlos Gonçalves | Contactar Alumni: pedrosantos949@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *